Dos shows improvisados à indicação de Grammy, 'Franciso, el Hombre' volta a Barão Geraldo, onde tudo começou 1

Dos shows improvisados à indicação de Grammy, ‘Franciso, el Hombre’ volta a Barão Geraldo, onde tudo começou

Quinteto que surpreende pela simplicidade e fusão de ritmos se apresenta no Brasuca

“Fizemos construções de canções como se estivéssemos no nosso show, cantando em coro e fazendo aquela união de musicalidades latinoamericanas como se elas fossem todas de um gênero musical só”, essa é a definição do último disco da banda Francisco, el Hombre. E é o que o quinteto promete para o show desta sexta-feira (8 de abril), no Brasuca, que fica no Distrito de Barão Geraldo, em Campinas, onde o projeto começou.

O terceiro álbum do quinteto ‘Casa Francisco’, de 2021, é uma ressignificação da perda, onde os integrantes mudaram o sentido negativo para a importância de se libertar de amarras para realmente encontrar um novo caminho, como a passagem de um dos poemas do autor uruguaio, Eduardo Galeano: “Hay que perderse para encontrarse”. Os artistas resumem essa frase como a síntese dos processos que desencadearam o último trabalho.

Os integrantes buscaram se perder em novas sonoridades e projetos-solo para que, assim, pudessem se reencontrar como um organismo-banda. “Entendemos que estávamos a fim de fazer um disco em que não reinventássemos a roda: viemos ser Francisco, el Hombre. E cada um ter trilhado seu caminho, seu projeto solo, por um tempo, foi primordial para a construção deste trabalho”, compreende Mateo Piracés-Ugarte.

Francisco, el Hombre é uma banda brasileira formada em 2013 pelos irmãos mexicanos naturalizados brasileiros Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte em Campinas. Foi indicada ao Grammy Latino em 2017 por melhor canção em língua portuguesa pela música “Triste, Louca ou Má”.

História

Com mais três membros brasileiros, o quinteto mistura elementos musicais de ambos os países e outros da América Latina, com base na experiência dos irmãos em viagens no continente, resultando em música cantada tanto em português como em espanhol e inglês. Autodefinem-se como um grupo de “pachanga folk”. Também já foram descritos como uma mistura de Manu Chao e Nação Zumbi e já se autodefiniram como “uma fusão entre a batucada e a música latina” e “batuk freak tropikarlos”

Suas primeiras turnês latino-americanas eram autofinanciadas e improvisadas, com poucos shows confirmados no início da viagem. Ao longo da jornada, aproveitavam-se de oportunidades para apresentações em ruas, praças, hostels, bares e festas de aniversário que iam surgindo

Após viajarem pelo mundo com seus instrumentos, os irmãos mexicanos Sebastián e Mateo Piracés-Ugarte se mudaram para o Brasil em meados dos anos 2000, naturalizaram-se, firmaram-se no distrito de Barão Geraldo e formaram a banda com o objetivo de “largar os empregos, faculdade e todas as ‘amarras com a sociedade'”. O nome do grupo foi inspirado em uma figura de mesmo nome do folclore colombiano, conhecida por tocar acordeão pelas ruas das cidades.

Os ingressos podem ser comprados no link:

https://www.multiingressos.com.br/evento/545/Francisco_El_Hombre__Maiko

Serviço

Show: Francisco, el Hombre

Dia: 8/4/22, sexta-feira, a partir das 22h.

Brasuca – Avenida Santa Isabel, 800, Barão Geraldo, Campinas/SP.